Cientistas italianos descobrem Italus, a árvore mais antiga de Europa, com 1.230 anos de idade

Em alta loma, localizado em um dos pontos mais altos do Parque Nacional de Pollino (entre Basilicata e Calábria, na Itália), encontra-se um pequeno grupo de seis árvores, entre tocos e galhos posições espalhadas pelo chão. O mais alto do grupo aparece completamente bagunçado, sem folhas em sua copa, com graves danos em seu tronco, dando a aparência de estar à beira da morte. Mas, nem muito menos: essa árvore é um dos mais importantes do mundo.


E é que um estudo realizado pela Universidade de Tuscia serviu para descobrir que essa árvore é, hoje, o mais antigo de toda a Europa, com 1.230 anos de idade. Trata-Se de um pinheiro dos Balcãs, que foi batizado como ‘Italus’ e que não só não se encontra em mau estado, mas que os úlitmos exames que lhe foram praticado determinam que continua a crescer e que está cheio de vida, apesar do que possa sugerir o seu aspecto exterior.



TeknautasEste sexta-feira foram entregues os prêmios mais prestigiados de fotografia informativa. Os World Press Photo. Entre outras, foram contemplados, por exemplo, uma imagem de


Desde o século VIII, ‘Italus foi testemunha de tudo o que tem acontecido no país e, agora, tem a honra de ser a árvore mais antiga de toda a Europa. Sua descoberta veio quase por acaso. Exames prévios no Parque Nacional de Pollino havia determinado que se havia certos pinheiros dos Balcãs próximos 1.000 anos de vida, o que fez com que um grupo liderado por Gianluca Piovesan se fizesse uma pergunta: como é que acharia algum árvore milenar?


Essa simples sentença levou a cabo um estudo que durou mais de três anos, o que lhes tem servido para descobrir a ‘Italus’, segundo informaram os cientistas na revista ‘suas caminhonetes’. Mas datar a sua antiguidade não foi uma missão fácil, pois este tipo de árvores tem uma curiosa característica, que é que seu tronco se vá ficando oco com o passar dos anos. E, evidentemente, esta situação complicava a missão de poder facilmente descobrir sua idade.


De fato, o tronco de ‘Italus‘ conta com um diâmetro de 160 centímetros, mas os pesquisadores logo descobriram que praticamente lhe faltavam cerca de 48 cm no seu interior, uma seção muito importante que impedia saber quantos anéis lhe faltavam ao pinho. Assim, decidiram levar a cabo uma solução: analisar os anéis de as raízes da árvore -que são criados a outro ritmo que os do tronco – com datação por radiocarbono e verificar o padrão de crescimento da raiz com o do tronco.

O Parque de Jumentinho, um dos locais naturais mais importantes Itala. (CC)

Novo recorde de 155 anos


Uma vez obtido o dado resultante, os números falaram por si: o anel, o mais antigo do tronco de ‘Italus’ é do ano 789, o que significa que cumpra este ano 1.230 anos de idade. Desta forma, este pinho dos Balcãs é 155 anos mais ‘velho’ que o anterior árvore que ostentava o recorde, um pinheiro localizado no norte da Grécia, que conta com 1.075 anos de idade. Além de ‘Italus’, a equipe descobriu outros dois pinheiros, que superam o milênio de vida.


Mas o mais importante é que os estudos científicos realizados determinam que ‘Italus’ está pleno de vida. E é que o ecossistema privilegiado em que se encontra permite que este pinho dos Balcãs continuar crescendo com normalidade, apesar de que seu chefe aspecto possa dizer. De acordo com esses mesmos cientistas, o único que pode fazer morrer a ‘Italus’ são os ventos de grande força, os raios ou a mão do homem. Longa vida à árvore mais antigo da Europa.

Cientistas italianos descobrem Italus, a árvore mais antiga de Europa, com 1.230 anos de idade
Rate this post