O homem que explica como ser o pai perfeito

Um dos primeiros defeitos de fabricação que têm os filhos é que chegam sem livro de instruções. Gritos, dores, fraldas, que são multiplicados… E quando crescem, dizem aqueles que passaram pela dura tarefa da paternidade, a coisa se complica. O que servia de apoio e entretenimento, quando tinham três anos, já não serve quando cumprem seis. O dos pais é um exercício de reciclagem perpétuo. E no meio de todo esse caos, sempre sobrevoa uma pergunta: O que estarei a fazer bem?


Não foram registrados casos de pais e mães perfeitos, de fadas e super-heróis como nos filmes, mas hoje, e cada vez mais, há técnicas que ajudam a consegui-lo. Até os atores e atrizes foram despejo na hercúlea tarefa de dar conselhos para lidar com as crianças! Um deles é o comediante Rob Corddre que, além de protagonizar a série “Ballers’ exibida pela HBO, é pai de dois filhos. Esse ator reconhece, em um artigo publicado na revista ‘Men’s Health’ que, se há anos o trabalho de os pais se limitava a fornecer roupas, comida e uma viagem para a Disney World, agora a coisa piorou: os adultos têm que ser para as crianças um Disney perpétuo. E longe de agobiarse, Corddry agradece as regras da paternidade mudem desta forma. “Passar o tempo com os meninos me faz desfrutar, porque eles são uma ferramenta muito criativa. A chave é se divertir com eles sobre as coisas que lhe enchem a si mesmo“, explica. E talvez porque as experiências são as que mais ajudam, o ator enumera uma série de dicas para aqueles que se juntam agora ao clube da paternidade.


Substituir fichas de poker por doces ou pedras também é um incentivo para que as crianças se divirtam e que cumpram suas tarefas


Por exemplo, transmitir os gostos e hobbies é uma das melhores coisas que se podem fazer com os filhos, explica Corddry. “Se você é entusiasta, eles também o serão”, diz. Os jogos, e principalmente a imaginação para inventarlos, são outra das tabelas de vida dos pais. Quem não tenha jogado alguma vez os blocos de construção Lego com seus filhos? Existem tantos jogos possíveis, como crianças povoam o planeta. Um dos mais frequentes na casa do ator é o “perder-se”. Neste sentido, Rob explica que uma das coisas que mais gosta de seus filhos é guiar o ator enquanto ele dirige por estradas até que acabam perdidos. À direita, à esquerda e assim por diante, até que o GPS tem que resolver o problema. “Vai demorar mais tempo a chegar a casa, mas as crianças passaram um bom tempo”, diz. Aí vai uma ideia para os pais pouco imaginativos.


E as histórias? Pobre daquele pai que não sabe contar um conto. Corddry reconhece não ser muito bom esta matéria, e por isso torna as crianças participantes dela. “Construir um conto entre os três é muito mais divertido do que se conta um só”, diz. E na mesma linha dos contos é a de apostas. “Substituir fichas de poker por doces, moedas ou pedras também é um incentivo para que as crianças se divirtam enquanto cumprem suas tarefas”, acrescenta.


E com as crianças maiores?


Estes últimos são dicas que vêm bem enquanto os filhos são pequenos, mas, o que fazer quando crescer? Rob Corddry é clara: enviá-los para fora. Passar uma temporada longe dos pais e em um ambiente novo para eles, é uma das coisas que mais favorecem o crescimento pessoal dos filhos. Acampamentos, programas de intercâmbio… Há uma série de opções para que os filhos viajam e os pais tomem uma respiração.


Outro aliado histórico dos pais é a televisão. Durante anos, este aparelho, foi uma ferramenta fundamental para entreter os filhos. No entanto, no caso da família de Corddry se cumpre o velho ditado “em casa de ferreiro…espeto de pau” E é que, tal como afirma o ator, ele e sua mulher foram privada para seus filhos do entretenimento televisivo reduzindo-a apenas a alguns minutos diários.


Se nós, como pais, somos claros, a relação com os filhos também o será, e contribui para ajudar o seu bom desenvolvimento


Viajar com os filhos, cozinhar com eles, preparar anúncio no quintal de sua casa e, por que não, fazer alguma travessura , são outros dos truques que lhe têm servido a este ator para ensinar e compartilhar momentos com os seus filhos. E do mesmo modo que Corddry dá uma série de idéias de coisas que se podem fazer com as crianças, também compartilha aquelas que, sob qualquer circunstância, podem-se permitir que: fingir diversão ou estar com eles por obrigação é uma delas. “Com os filhos há que aproveitar”, diz.


Nesta mesma linha, a psicóloga e pioneira na educação infantil, Elisabeth Fodor, afirma que o melhor caminho para melhorar as tarefas de paternidade é ser você mesmo e trabalhar em nossa atitude. Se nós, como pais, somos claros, a relação com os filhos também o será, e contribui para ajudar o bom desenvolvimento das crianças. Por isso, Fodor, além de dar algumas chaves para educar os mais pequenos, também dá para os pais. Neste sentido, a psicóloga indica que todos os adultos precisam se conhecer melhor. “O Cómos vamos ensinar inteligência emocional se não sabemos explicar o que nos acontece a nós mesmos?”, a pergunta.


Priorizar as emoções


Dar asas a sua ternura é outro dos passos para conquistar os filhos. É porque, nas palavras da educadora, os gestos e a linguagem amorosa é algo que sempre foi de manter com os filhos como sinal de proximidade e de ajuda. E junto a isso, deixar os julgamentos de lado é outra tarefa fundamental para os pais. Os filhos, diz ele, são o que querem ser e não o que os pais se empenhem em que sejam.


Viver devagar, com foco na educação, dar prioridade às emoções e ouvir os pequenos são outras das práticas a seguir na tarefa de ensino. Todas elas são trabalhos conducentes à aprendizagem, já que, como explica Fodor, “a vida não é só esperar que passe a tempestade, mas sim aprender a dançar na chuva”. Por isso, este e outros psicólogos concordam que a melhor educação é aquela que passa por dar raízes para crescer e asas para voar.

O homem que explica como ser o pai perfeito
Rate this post